Backstage Docs

Zoega, Edinho e Gustavo Kelly se reúnem na Shopping das Proteínas e falam sobre seu premio como melhor posador em Pittsburgh e ainda fazem colocações sobre o patrocínio de atletas no Brasil.


O REI DE RECIFE
A IFBB já conquistou 188 países e agora, com a expansão da franquia Arnold Classic, deparou-se com o Brasil e descobriu que tem pela frente a árdua campanha de penetrar e conquistar mais 27. O Brasil, todos sabemos muito bem, tem 26 estados e uma capital que equivalem não somente em território a muitos países europeus ou asiáticos, além de divergirem culturalmente entre si. O que me leva a crer que o trabalho de penetração e capilarização do esporte deva ser conquistado palmo a palmo, estado a estado. Sem menosprezar as demais estações que o Bodybuilding ainda tem de chegar, ver e vencer, a tarefa já está iniciada nos grandes centros como Rio, São Paulo, Minas, Santa Catarina, Porto Alegre e Recife. 



Cada uma dessas referências tem seu líder e porta-voz, que nem sempre é o dirigente da instituição gestora do esporte, mas figuras carismáticas, que por seu trabalho diferenciado, assumem essa representatividade. E esse é o caso do Recife, onde para nós, daqui do sul-sudeste, visualizamos em primeiro plano a figura de um mestre e seus seguidores. Esse reconhecimento não é apenas a minha opinião, mas também a da empresa que mais se destaca no cenário bodybuilder nacional. A Probiótica vê da mesma forma que eu vejo e sinaliza para o Brasil que nele credita toda a força da sua imagem, bem como da qualidade de seus produtos. Quem entende desse esporte no Brasil já sabe que estou falando de Célio Ramos. Parceiro de Ricardo Pannain, Célio prepara atletas, escreve livros, treina mortais e também escava talentos. Nessa entrevista, que ele me concedeu no Arnold Brasil 2013, ele conta sobre seu trabalho, fala sobre o crescimento do esporte, o aumento da sua equipe e de seus seguidores e ainda apresenta o seu "Garoto Prodígio" (vocês vão entender porque), Thulio Wanderlei, com quem eu tive uma aula sobre o mais temido recurso usado por alguns atletas: a insulina. 











PANNAIN SCORES AGAIN !
Mais uma vez o preparador de atletas Ricardo Pannain mira e acerta na mosca. A categoria Biquíni acima de 1,63 cm tem agora nova detentora do título. Mori Oliveira, que ficou em nono lugar em Madrid 2012, mudou de técnico e de estratégia e não deu outra. Levou. Assistam a entrevista e vejam que Mori é mais uma atleta brasileira que vai em busca do Pro-Card, fazendo parte itinerante do cenário bodybuilder internacional. 









Kit Sanderson, da revista MD LATINO, ficou surpreso quando descobriu o verdadeiro calvário que nossos atletas têm de enfrentar para chegar a um pro-Card, o que faz com que as brasileiras Mori Oliveira, Raphaela Milagres, Nicole Eccel, Juliane Andrade, entre outras, representem o que há de melhor no nosso país, formando uma linha de frente que mais uma vez coloca o Brasil à frente de um esporte. Tenho certeza de que  Madrid 2013 contará uma história bem diferente. 






EU JÁ SABIA !!

Foi o que exclamei quando assisti o resultado do overall da biquíni no Arnold Classic Rio 2013.
Domingo. Último dia de Arnold e o que Ricardo Pannain havia chamado de "seu dia". E não deu outra. Eu fui o segundo a me instalar com meu cinegrafista, Diogo Luna, na área de imprensa, bem na cara do gol. Melhor vista impossível e vocês vão poder conferir o meu privilegio pelo clip no final da entrevista.

Entre cadeiras bagunçadas, uma miríade de fotógrafos e cinegrafistas amarfanhados contra a grade que nos separava dos árbitros, avistei e consegui chegar até um ponto onde pude falar com Pannain, que assistia atenciosamente ao show de suas atletas que flutuavam no palco mais cobiçado do Rio de Janeiro. A arbitragem teria naquele dia árdua tarefa pela frente, mas, ao contrário, o rosto de Pannain parecia (eu disse parecia) plácido e seguro. Cara de quem fez o dever de casa. Tirei-o de seu olhar fixo no palco, quase que num transe, e falei que queria entrevistar as meninas depois de tudo. Ele concordou com a cabeça e rapidamente voltou seu olhar fixo para a competição, como se projetasse seu pensamento através de freqüências mentais. Nesse momento entram as melhores da categoria biquíni para o overall. Estava justificada tanta concentração do treinador: sua atleta Raphaela Milagres acabara de subir no palco e postara-se de frente para um dos julgamentos mais importantes daquela manhã, daquele dia... dessa nova era "Arnoldiana" que inundou nossas expectativas com promessas de um futuro mais digno para nossos atletas. 




"Diogo !!! É essa !!! É essa aí !!! Gritei para o meu cinegrafista, apontando para Raphaela. "Filma ela toda, não tira a lente dela !!! Acrescentei para que ele entendesse para onde deveria dar o devido destaque. Não, não ouvi nenhuma informação vazada da arbitragem. O fato é que eu já sabia que ia dar Raphaela Milagres na cabeça. Eu já arbitrei várias vezes e apresentei muitos campeonatos... essas coisas a gente vê de longe. Tão lógico quanto o fora para Julio Balestrin no mesmo dia, a mais nova candidata ao Pro-Card vestida em sua aura de campeã. Tava na cara, o overall era dela. E não deu outra. 



Nessa entrevista vocês vão poder conhecer melhor a simplicidade dessa vedete do culturismo brasileiro e atestar suas qualidades físicas, sua atitude, seu grooming (postura de palco) e elegância natural de quem tem o pedigree das campeãs que fazem toda a diferença e dão uma aula do que o esporte é feito às iniciantes. 

Seguindo os passos de Alessandra Pinheiro, Diana Tyuleneva, Danuza Marques e Lúcia Helena, Raphaela Milagres conquista seu primeiro passo firme para o hall da fama entre essas mulheres maravilhosas que nos saltam os olhos e marcam épocas. 

Força Sempre


A seguir, o vídeo dessa divertida entrevista, compartilhada com Kleber Caramello, contendo um clipe no final pra quem perdeu a performance "alive" da campeã. 






Entrevista exclusiva com Ricardo Pannain, no meio do Arnold Classic Rio 2013, um dia antes da vitória de suas atletas femininas. Conheçam mais de perto um dos melhores e mais disputados profissionais do BB brasileiro e confiram que essa estrela é tão humana quanto genial.
Antes de gravarmos a entrevista, como sempre muito solicitado, Ricardo Pannain analisa uma possível nova atleta em pleno "Arnold".

























Assista agora uma entrevista onde Ricardo Pannain fala da sua realidade cotidiana e mostra, seus planos, sua grife,  Probiótica e seus desafios. Enjoy.


FORÇA SEMPRE


Entrevista com o presidente da IFBB Brasil
Rápida conversa com o presidente da IFBB BRASIL, Mauricio de Arruda Campos, no segundo dia do Arnold Classic Rio 2013, gravada no stand da Max Titaniun (expositor). Com a ideia original de Marcelo Bella, aliás, sempre ele, e os esforços da Savaget e da atual gestão da IFBB BRASIL, Mr. Arnold Schwarzenegger concordou em criar uma franquia do evento para o Rio de Janeiro. Apesar do sucesso absoluto e superior ao de Madrid, que já existe há três anos, batendo 60 mil visitantes somente no primeiro dia, o Rio está ameaçado de perder essa festa anual. A questão principal é que o único espaço do Rio que caberia tamanho público seria o Rio Centro. Não só para o devido conforto, como para a segurança. Coisa que o brasileiro anda nem arisco ultimamente. Assistam o filme e levantem essa discussão. Onde é melhor para o Arnold Brasil? Rio ou São paulo. A minha opinião é de que permaneça na cidade maravilhosa pelo simples fato de que o Rio dá mais visualização ao Brasil internacionalmente falando. Esporte e Rio, tudo a ver. Todos concordam. Mas este ser que vos escreve é indelevelmente carioca... 
Eu particularmente adorei fazer essa entrevista porque como produtor de conteúdo sempre achei que as instituições do Bodybuilding brasileiro são um tanto quanto herméticas quanto ao seu público expectador. Meu objetivo aqui é produzir news de qualidade para que essa informação traga transparência e, sobretudo, entendimento da realidade de bastidores. 
Espero que vocês curtam assistir como eu curti fazer.


FORÇA SEMPRE.











FERROMANIA é uma série de vídeos documentários que visa analisar, discutir e destrinchar a indústria do bodybuilding brasileiro como esporte, business e tendência comportamental da sociedade em que nós brasileiros vivemos. 


Considerando-se que atualmente temos uma academia de musculação a cada esquina, por assim dizer, nos grandes centros urbanos e que todo esporte tem a combinação (musculação/dieta) como base da sua preparação, eu classifico o conceito do bodybuilding (por mais básico que seja) como a maior prática esportiva no país e muito provavelmente do mundo. 


Dessa forma, nada mais justo do que começarmos a apresentar o bodybuilding esportivo como ele realmente é, contando suas histórias de bastidores e o posicionamento de suas celebridades, seus líderes e formadores de opinião.






O documentário que vocês estão prestes a assistir é uma breve pincelada sobre esse conteúdo com as participações de Rogério Camões, Alessandra Pinheiro, Álvaro Filho, Jair Frederico e eu, falando sobre seu começo como bodybuilders ou comentando porque o esporte, aqui no Brasil, enfrenta problemas para atrair patrocinadores e produzir espetáculos à altura do que vemos lá fora. A óbvia coincidência entre suas opiniões demonstra que não há nenhuma lâmpada mágica a ser esfregada para que apareça o gênio com a receita de uma fórmula mágica, mas, ao contrário, sinaliza o que felizmente já sabemos e o que é necessário, mas também constata que nosso maior inimigo é o despreparo e a desunião.

Nos próximos vídeos da série vou mostrar individualmente os documentários completos do Camões, da Alessandra, do Álvaro, do Jair, Eduardo Zoega (Tatuí), Marcel Ribeiro e Ricardo Pannain e pretendo convidar muitos outros, até mesmo os mais improváveis, mas que sem dúvida somam e pesam muito no cenário do ferro.

Vou ser franco. O FERROMANIA, apesar de ser produzido por mim, não tem partido. Mas é, sobremaneira, tendencioso. Para os que conhecem minhas entrevistas, meus textos e conteúdos, desde antes do Jornal do Brasil, sabem que sou deveras a favor do esporte (BB), independentemente da bandeira em que se apresente, seja ela IFBB, WBPF ou NABBA. Por tanto, vocês vão encontrar nesses documentários a minha incondicional devoção pelo estilo de vida bodybuilder, seus atletas e suas competições. 


Nessa primeira edição conto com toda a perícia do movie maker Diogo Luna da OPC Filmes que fez esse documentário possível com sua dedicação, altruísmo e quase nenhum tempo livre. 

E se você realmente ama e vive do esporte tanto quanto diz por aí, compartilhe essa matéria de toda a mameira que puder. A união da qual falo e que necessitamos começa aí... Quando dizemos o que pensamos em uníssono. Quem não chora não mama !

ENJOY, CRITIQUE E COMPARTILHE
FORÇA SEMPRE











12 comentários:

  1. Adorei esse video porque essa é também minha visão para o fisioculturismo.. maneirissimo....Valeu assistir..Mil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, é a visão d grande maioria. Valeu.

      Excluir
  2. parabéns e vamos nos unir cada vez mais em prol desse esporte apaixonante e salutar! abraços guerreiros e estamos juntos!! força sempre!

    ResponderExcluir
  3. Muito profissional este trabalho, claro, objetivo, respaldado, íntegro e bom!
    Parabéns meu camarada Vilhena, o seu trabalho é excepcional, ficou maravilhoso o projeto.
    Muito mais sucesso pra nós todos ligados, de uma forma ou outra, ao esporte dos ferros.
    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  4. Caro camada anônimo (rsrsrs), muito obrigado pela sua apreciação e aprovação. Graças a pessoas como vc o meu empenho e comprometimento com o esporte se torna cada vez maior.
    Força Sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro Vilhena.
      Eu sou o Jota Bezerra, não sei pq o meu nome e minha foto não apareceram na postagem rs.
      Obs- Meu perfil está personalizado, atualizado e nos conformes.
      Forte abraço.

      Excluir
    2. Relacha... isso é bug ou do face ou do blogger. Mas tá aqui registrada a sua passagem. Obrigado pelo carinho.

      Excluir
  5. vc e o jair,não pertence ao rio vcs pertencem ao brasil. São pessoas assim que o nosso espote precisa para estar a frente das federações

    ResponderExcluir
  6. Para quem realmente ama o esporte não pode ser diferente. Valeu Vivaldo.
    Força sempre.

    ResponderExcluir
  7. PARABÉNS MEU AMIGO EXCELENTE TRABALHO!

    ResponderExcluir

Aviso galera. Não publicarei comentários desequilibrados, sem noção e oriundos de patrulhas ideológicas, do tipo pela saco! Entretanto, sintam-se à vontade para manifestarem seus "insights", se assim o desejarem. Aprendi que para cada porta fechada mil janelas se abrem.